Oração, Reflexões

Essa semana, Deus vai te surpreender

image_pdf

Sabe esses posts com essas mensagens que parece que Deus separou exatamente para você ler, se alegrar e comentar “Amém!”, exercitando sua fé porque naquela semana Ele vai te surpreender? Então… não é Ele não, tá? rs Isso chama-se Clickbait, ou em bom português, Caça-Likes.

“Mas, Roger, como é que ele apareceu exatamente naquela hora que eu mais precisava? Você não crê?”

Não! rs

Acontece que, por mais inteligentes que sejam as redes sociais, elas “decidem” se o post é ou não relevante pela quantidade de curtidas, compartilhamentos e comentários como o seu “Amém!”. Como no seu círculo de amigos, a quantidade de crentes deve ser grande (Alelóia!), isso vira uma bola de neve [Ap. Rina curtiu].

“Tá… então, você não crê que Deus vai me surpreender essa semana?”

Não! rs

Mas calma, antes de você me chamar de Filho de Belial, Tomé, herege ou sei-lá-o-quê, permita-me lhe dizer porque não creio nessas bobagens.

Há em curso uma banalização generalizada da bênção de Deus, em que esta é dispensada a todos pelo simples fato de que Ele é muito bom, ama todo mundo e quer ver todo mundo feliz – um verdadeiro Papai Noel. Como disse Alexander Mora num artigo sobre Bonhoeffer: “A fé se torna barata quando é oferecida como um produto de consumo para satisfazer as massas que buscam uma mensagem que se encaixe aos seus desejos pessoais.”

O que precisamos entender é que o relacionamento com Deus é dinâmico, pessoal e reservado. Na comunhão dos santos, vivenciamos a experiência da adoração comunitária, mas é no íntimo do nosso quarto, com as portas do nosso coração fechadas para o mundo, que descobrimos a vontade do Eterno para nós.

As bênçãos de Deus podem ser surpreendentes, mas não deveriam ser surpresa para nós, já que, como disse o salmista: “O Senhor confia os seus segredos aos que o temem, e os leva a conhecer a sua aliança.” (Sl. 25:14)

Quando Jesus fez o milagre da multiplicação, todos os discípulos estavam ali, já na transfiguração, somente os íntimos foram convidados. A pergunta é: você prefere encher a barriga com o povão ou ver a glória de Jesus? (Lc. 9.32)

Eis o que creio: creio que o Senhor deseja compartilhar seus segredos conosco, mas Ele não fará isso a rodo, muito menos distribuindo “surpresas” pelas redes sociais.

Deus tem uma surpresa reservada para você, e Ele deseja contá-la no Monte da Intimidade, no sussurro da graça, no lugar secreto da oração. Ali, sim, você pode dizer com convicção: “Que assim seja!”

No amor do Pai,

Roger

Incoerência, Reflexões

Sejje Sincera

image_pdf
Quando falamos que o mundo precisa desesperadamente de Jesus, não é porque queremos que as pessoas se associem à nossa religião, à nossa igreja ou aos nossos costumes. Dizemos isso, porque Suas palavras são de paz, amor, tolerância e perdão. O fato de alguns conhecerem uma figura caricata de Jesus através de alguns de Seus seguidores, em nada muda Seus ensinamentos, exemplos, princípios, e muito menos Sua importância na história da humanidade. Mesmo assim, essa foi uma de Suas preocupações: “Quem dizem os homens que eu sou?”
 
Acordamos com a notícia de que a blogueira Alinne Araújo se suicidou. A dona do blog Sejje Sincera teria se jogado do nono andar do prédio onde morava. No dia anterior, Alinne havia se casado “sozinha”, pois o noivo teria desistido do enlace pouco antes. Blogueiros afirmam que o motivo do suicídio foram as críticas e chacotas que Alinne sofreu diante de sua atitude inusitada. Por outro lado, a Veja noticiou o seguinte:
 
“O pai do noivo, Orlando da Costa, afirmou que o rapaz desistiu da união após se sentir “espantado” com a decisão de Alinne em pedir o testamento. “Ele queria se casar, foi até o advogado, mas esse documento deixou ele assustado”, contou. “Meu filho não é um canalha, se fosse seria até melhor nesse caso, porque ele está sofrendo muito”, dispara. “Para mim é uma coisa inédita, uma pessoa pedir que a outra assine um testamento deixando todos os bens pouco antes de casar. Quem assinaria isso?”
Vê-se que o mesmo ódio que provavelmente tenha sido o gatilho definitivo para o suicídio de Alinne é agora acionado contra o noivo. Você não precisa ser muito espiritual para ouvir as gargalhadas de Satanás diante de uma sociedade que se mata com palavras.
 
Veja, você tem até o direito de achar que o ser humano é ruim por si só. Que nada disso tem a ver com Deus ou com o diabo. Mas da mesma forma, eu tenho o direito de acreditar que a raça humana nasceu a partir das mãos do Eterno, e que Este deixou-lhe as marcas de Suas digitais espalhadas por toda sua existência. Pra mim, o ser humano não pode ser tão maligno pelo simples fato de se esconder atrás de uma tela. Pra mim, a sociedade está doente, essa doença chama-se pecado, e a única cura para tudo isso é JESUS.
 
Diante de tanta evolução e tecnologia, talvez você ache muito simples essa ideia, mas esse é o escândalo das palavras de Jesus: elas são simples e alcançam a todos com perdão e amor. A isso, chamamos GRAÇA.
 
Que o Senhor tenha misericórdia e conforte os familiares da Alinne, o seu noivo e todos os que a seguiam.
 
No amor do Pai,
 
Roger
Reflexões, Santificação

O Evangelho Instagram

image_pdf

Já está mais do que provado que vivemos a era das aparências. As redes sociais tornaram-se a grande vitrine da vida, não da vida real, claro, mas uma janela virtual para um mundo perfeito, em que todo mundo é rico, feliz, pleno, sábio, motivado e, claro, bonito. Meu sonho era me mudar para o Instagram, afinal, o que não falta lá é beleza e comida… ah, muita comida!

Porém, mesmo que essa vida tão perfeitinha e atraente não seja real, vê-se que ela tem se tornado uma obsessão coletiva, ou seja, eu sei que ela não é real para mim, mas posso quase garantir que ela o é para o outro – não é à toa que o número de academias cresceu vertiginosamente e temos a sensação de que falta cliente para tanto coach. Todos estão na corrida pela vida perfeita que veem em seus feeds.

Diante desse quadro, alegar que não se pode ir à academia porque depois do trabalho ainda se tem um tanque cheio de roupas pra lavar, que serão estendidas e no outro dia terão que ser passadas é visto como pura preguiça, desculpa ou mimimi dos que vivem suas vidas reais. É tarefa quase insana tentar explicar que sorteamos boletos todo mês para ver qual será o felizardo escolhido para ser pago naquele mês àqueles que encontraram a fórmula betina milagrosa do enriquecimento.

Diante desse sufocamento social pelo sucesso a qualquer custo e pela busca de aceitação através de um corpo esteticamente compatível com o que dita essa sociedade, me parece que o resultado se traduz no aumento assustador dos problemas emocionais como depressão, frustração, isolamento ou frustração.

Diante desse contexto, tem sido cada vez mais nítido o sucesso de pregadores que conseguiram alinhar a estética, o empreendedorismo, as palavras motivacionais e uma vida triunfante do ponto de vista financeiro. Em alguns casos, é praticamente impossível distinguir algumas pregações das palestras motivacionais em voga. Me parece que essa obsessão coletiva pelo sucesso tem invadido a mente dos crentes, que ao mesmo tempo é realimentada por essas pregações que garantem o sucesso de seus ouvintes pelo simples fato de Jesus amá-los desesperadamente e, por isso, estar pronto a realizar todos os seus desejos e anseios por felicidade.

Conceitos tão explícitos como abnegação, tolerância, renúncia e altruísmo têm sido enxugados aos moldes fitness dessa geração. Nada foi deletado, mas tudo foi reeditado na base da ciência exata chamada “achologia”, que traz em seu texto áureo a máxima de seus estudiosos: “Ah, não é bem assim…”

Crendo fielmente que nem todo joelho se dobrou ao crossfit do relativismo, clamo ao Eterno que nos faça voz profética em meio a esse deserto da futilidade, de selfies perfeitas e corações vazios, de frases profundas e mentes rasas, de sorrisos encantadores e almas solitárias.

Enfim, não se deixe enganar: “Deus não quer mais sacrifícios” – dizem os pregadores do Evangelho Instagram, porém, seus filtros os impedem de perceber que o Eterno falava do sacrifício de animais. Sacrifique seus desejos. Sacrifique sua carne. Sacrifique seu bem-estar em prol do Reino. Ainda existe uma cruz, e ela é real. Tome a sua.

No amor do Pai,

Roger