Pastoral, Reflexões

Espelho meu

image_pdf

O dilema da Bruxa Má assola-nos desde Caim e Abel. E claro, não há nada mais desgastante do que ser comparado com alguém. Ouvir que ele (ou ela) é melhor do que você, pode ser um tiro no coração. Ser dispensado é humilhante, mas ser comparado (e perder) é muito mais cruel. Talvez o grande problema da bruxa (ou rainha, em algumas versões) foi ter-se comparado à uma jovem donzela. Quem sabe, se pudesse perceber a beleza que há na maturidade [e como há], não se importasse com a beleza da Branca de Neve.

Veja, é descabido dizer que a maçã é melhor que o limão, só porque eles se parecem. Enquanto o limão é fruto, a maçã é um pseudofruto. E mais, você não pode dizer que a maçã é mais gostosa do que o limão só porque ela é doce e ele, azedo, e isso por um motivo muito simples: o propósito de um é exatamente o oposto do outro.

Assim, não cabe a nós julgarmos pessoas cruéis que nos colocam em balanças enganosas e nos desprezam ou desqualificam fazendo tais comparações, porém, mais importante do que isso é não sermos nós mesmos essas pessoas. Explico numa pergunta: por que costumamos ser nossos próprios carrascos ao nos compararmos com quem (supostamente) é melhor do que a gente?

Contudo, se a comparação é inevitável, podemos fazê-la em balança fiel, e Paulo nos dá uma pista: “…de alguém assim me gloriarei eu, mas de mim mesmo não me gloriarei, senão nas minhas fraquezas.” (II Co. 12.5)

Paulo estava falando dele mesmo na terceira pessoa, e sabe o que eu aprendo aqui? Há alguém com quem você pode (e deve) se comparar: você deve se comparar com aquele a quem você foi proposto a ser.

Você foi proposto a ser um excelente pai? Então, se compare com esse pai e veja se a balança está equilibrada. Você foi proposta a ser uma excelente esposa? Filho? Advogado? Cantora? Missionário? Não importa o quê, mas para quê Deus te projetou.

Pense nisso: talvez o problema não seja a sua capacidade ou o tamanho da tarefa que te designaram. Talvez seu único problema hoje seja não estar no centro da vontade de Deus e, assim, não servir ao propósito que Ele determinou pra você.

Em nome do Eterno, não cobre de você aquilo que nem Deus lhe exigiu. Não se compare com irmão, amigo ou qualquer outra pessoa. Deus tem um propósito específico para sua vida, e tão logo você e eu cumprirmos essa missão, nosso coração finalmente encontrará paz.

Que o Espírito de Deus nos guie hoje e sempre.

No amor do Pai,

Roger

Quem leu esta reflexão também gostou de

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *