Pastoral, Reflexões

Com a Palavra, meu patrocinador

image_pdf

Eu estava ministrando em Sydney, Austrália, já há alguns dias, e não tinha tido tempo de fazer compras. Mas, como todo bom brasileiro em viagem ao exterior, logo que sobrou um espaço na agenda, pedi ao meu amigo Saulo que nos levasse em algum outlet. Eles nos levaram a um lugar chamado Birkenhead Point Outlet Centre, em Drummoyne, um lugar muito bacana e com uma vista maravilhosa da baía de Sydney. Infelizmente, não demorou muito para eu me dar conta de que não estava nos States e as roupas eram todas importadas e, claro, muito caras (pra mim rs). Já estava bem conformado com a situação quando me deparei com a Levi’s, uma marca que admiro muito. Então, no bom espírito brasileiro de “tô só olhando”, perguntei à vendedora: “Por favor, quanto custa essa calça?” “149 dólares”, disse a sorridente vendedora. Rapidamente, fiz a angustiante conversão da moeda na minha cabeça e agradeci. “Hey”, disse a mocinha, “se você levar 2 calças, nós fazemos por 199 dólares”. Já completamente conformado (mas feliz) com minha situação financeira naquele momento, ironizei: “Moça, se eu não tenho os 149, por que você acha que eu vou ter 199?”. A vendedora sorriu, e eu lhe dei as costas. Foi quando ela disse: “You know what…” e emendou em uma frase que eu entendi apenas o final: “…for free”.

21038-bp

Olha, o meu inglês não é tão ruim assim – embora, certa vez num restaurante em Orlando, eu tenha pedido um “sequestro” ao invés de um “guardanapo” (acontece, vai… rs) – mas eu entendi que a vendedora queria me dar as calças de graça! Pedi um instante e apelei pro meu amigo: “Saulo, meu inglês tá um lixo, cara… Parece que a gringa ali tá querendo me dar as calças… de graça! Conversa com ela pra mim, por favor?” – Dany já me olhava com uma sobrancelha torta rs. Saulo volta com ar de confusão: “Ô, Roger… Parece que é isso mesmo, mano. Ela quer que você leve as calças de graça”. Não resisti, fui pra cima da vendedora: “Hey, are you crazy???” A menina me olhou com uma cara não muito boa e disse: “Por que você tá me chamando de louca?”. Então, expliquei que, de onde eu vinha, essas coisas simplesmente não aconteciam. “Roger, aqui também não acontece não” – sussurrou o Saulo. Pedi desculpas e perguntei por que ela estava fazendo aquilo. Com muita calma e um largo sorriso no rosto, ela disse: “Olha, você me parece ser uma pessoa muito boa e estou sentindo de fazer isso. Aliás, pega para o seu amigo também e pra sua esposa, que tal?”

Acredite, fui provar as calças e, já quase próximo ao provador, voltei: “Moça, tem certeza disso?” (quando a bênção é demais, o pregador desconfia rs). Resumindo? Ganhei 3 calças, mais uma pro Saulo, blusinha pra Dany e só não levei mais coisas porque a fé ainda estava meio vacilante. Tanto é que, quando chegamos na porta, eu disse ao Saulo: “Mano, corre antes que essa menina mude de ideia!” rs

Eu fui muito abençoado no tempo em que fiquei na Austrália. Visitei muitos lugares, várias atrações, conheci muitas pessoas e fui tratado como um verdadeiro profeta pela igreja em Sydney, não tenho palavras para agradecer. Todo dia tínhamos um jantar especial na casa de algum dos irmãos, e éramos recebidos como filhos. Mas essa história da calça ficou martelando em minha cabeça durante dias, até que, em oração, o Senhor falou comigo sobre o episódio. Entendi que Ele estava me dizendo: “Filho, onde quer que eu te leve, vou cuidar de você. Não se preocupe, simplesmente obedeça o meu chamado e não duvide.”

Estou compartilhando esse testemunho com você para fortalecer os seus sonhos ministeriais. Só quem tem um ministério sabe do anseio que nasce em nosso coração de falar do amor de Cristo às Nações, de ter um reconhecimento ministerial, não por conta do ego, mas para se ter uma confirmação de que estamos no caminho certo. Não se preocupe com a quantidade de convites, nem fique “divulgando” seu nome para ser chamado. Quem te chamou foi o Senhor, e nada melhor do que ser reconhecido e sustentado por Ele. Acredite, quem dá suporte ao seu ministério não é homem, nem instituição, é Deus.

Descanse, se for plano dEle, o Senhor ainda vai te levar a muitos lugares maravilhosos e vai te honrar. Apenas seja humilde e dedique toda honra e toda a glória Àquele que nos chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz.

No amor de Cristo,

Roger

Quem leu esta reflexão também gostou de

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *