Reflexões, Santificação

Eu sou um bundão

image_pdf

Há cerca de um ano, assisti uma pregação do Pr. Ed René em que ele resume muito bem o mecanismo religioso dos exploradores da fé: culpa, medo e ganância. Nem preciso dizer o quão esclarecedor e libertador é o vídeo do pastor da IBAB, assista! Porém, essa semana, um outro vídeo, sem qualquer cunho religioso, ressaltou um destes mecanismos por outra ótica.

O ator Will Smith postou esse vídeo de 1 minuto em sua conta no Instagram em que ele comenta que seu maior medo é o oceano (no vídeo, ele diz que não sabe nadar). Vale a pena assistir o vídeo completo em seu canal oficial no Youtube (“Facing my biggest fear”). Ele vai para a Austrália e mergulha pela primeira vez na vida para encarar o oceano. Ele mergulha entre tubarões e fala sobre gerenciar o medo. E foi algo que o eterno “príncipe de Bel-Air” disse que me levou a refletir: “É inteligente ter medo”.

O diabo sabe que a falta de coragem mexe com a gente. E isso não depende de gênero, formação ou raça – ele está sempre nos tentando a provar algo. “Se você é mesmo o Filho de Deus, faça isso!” – disse o inimigo ao tentar o Mestre no deserto. Agora, imagine ter o poder de criar o Universo e ser desafiado a transformar umas pedrinhas em pães. Imagine-se tendo o poder de voar pelas galáxias e ser desafiado a pular de um prediozinho.

Quando adolescente, achava que esse sentimento de medo em fazer algo errado vinha da pressão religiosa de minha época. Depois de adulto, achei que fosse uma pessoa extremamente obediente a Deus – aliás, já recebi muitos elogios por isso. Mas quer saber? Não sou o cara obediente que pensam que sou – eu sou é bundão!

Já fui desafiado nas mais diversas áreas que você possa imaginar, e quando não cedi, tive que ouvir essas palavras chulas. Para quem é homem e filho de nordestino numa sociedade tão estereotipada, você já deve imaginar o peso que tem essa acusação. E pense: é exatamente isso que o diabo quer.

Quando você quer mostrar pra todo mundo que é o cara, que é a mina, que faz e acontece, corre o sério risco de jogar fora um dos mecanismos mais inteligentes colocados por Deus em nós.

O medo não gerenciado realmente nos paralisa diante de grandes conquistas, mas quando ele é abafado por uma coragem motivada por Satanás, fazemos exatamente como ele planejou e somos obrigados a viver com as consequências dessa “coragem”.

Em nome do Eterno, deixe te chamar do que quiserem. Deixe pensarem o quão frágil ou medroso você é. Simplesmente não ceda à tentação de provar algo que você é capaz de fazer, mas que trará consequências pro resto de sua vida e, pior, entristecerá Àquele que não cedeu para provar não quão forte Ele era, mas o quanto te amava.

Corajoso mesmo é aquele que decide obedecer ao Eterno e pagar o preço por isso.

No amor do Pai,

Roger

Quem leu esta reflexão também gostou de

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *