image_pdf
Reflexões, Santificação

Você não precisa de Deus para ser feliz

Se há um valor que trago comigo desde que me entendo por crente é o respeito pela fé alheia. Nunca menosprezei ou tratei com desdém aqueles que não têm uma atividade religiosa semanal ou que entendem que você não precisa necessariamente ir à uma igreja para ser amado por Deus. Talvez seja esse, inclusive, o motivo pelo qual recebo mensagens de amigos não evangélicos me parabenizando por algum texto que leram e se sentiram tocados.

Evidente que respeitar e conviver em amor não significa em absoluto que concordo com os dogmas de outras crenças que não reconhecem Jesus como o Cristo, mas isso é tão explícito na minha fé que não carece de nenhum tipo de alarde. Aliás, dentre os argumentos que muitos crentes utilizam para proclamar sua crença, hoje, já um pouco mais calejado no evangelho, ouso abrir mão de um em especial: “Aceite Jesus para ser feliz”.

alone

Eu sei que isso é meio chocante para aqueles cristãos que têm trazido esse lema no peito como algo sagrado. E é natural que ao compartilhar a sua fé com aqueles que professam o catolicismo, o espiritismo ou mesmo o ateísmo você se sinta tão plenamente realizado com a fé evangélica que use desse argumento com tamanha propriedade, mas você realmente precisa entender uma coisa: muitas pessoas não são evangélicas e são felizes [a essa altura do texto já devo ter perdido 500 seguidores rs]. Mas calma, antes de me crucificar com pregos de unfollow, leia-me com atenção.

A Bíblia diz que quando Deus criou o homem e a mulher, Ele os abençoou. Por mais que o pecado tenha ofuscado o amor do Pai no homem, sempre haverá um lampejo de graça no olhar do ser humano. Um sorriso, um abraço, um gesto de carinho, a mão estendida àqueles que precisam… tudo isso lembra o Criador. E sabe qual o maior escândalo da graça? Deus dá vida e alegria aos homens mesmo quando estes não o adoram, porque a vida é um presente gratuito de Deus, e Ele jamais lançará isso em rosto. Deus não faz da vida um instrumento de troca.

Contudo, a reflexão de hoje é para você que é feliz, mas não serve a Jesus. Sim, eu não duvido que você seja feliz. Porém, permita-me compartilhar com você uma simples opinião sobre a vida. A Bíblia, meu livro de fé e prática, diz que se nós esperarmos em Cristo apenas nesta vida, seremos os mais miseráveis de todos! (I Co. 15.19). E convenhamos, acreditar que um sistema tão complexo como esse chamado vida, dotada de espírito, alma e corpo, acabe sem mais nem menos é, no mínimo, questionável, concorda? Pois é… Existe um Deus a quem um dia prestaremos conta de tudo o que fizemos e desfrutamos aqui. Justo, não é?

Por isso, justamente por você ser tão feliz e realizado com sua vida, você deveria dedicar um tempo em uma igreja para agradecer a Deus por tamanha bênção. E por que numa igreja? Porque apenas em uma igreja é possível exercer a comunhão e o perdão de maneira efetiva e constante. Qualquer outra forma de exercer o amor será passageira e não exigirá convívio – imprescindível para ser igreja.

Portanto, você pode me achar muito carola, pode viver tranquilo e feliz ao lado de sua família e amigos acreditando que esse é o fim de todas as coisas. Mas o Grande Dia vem, e mais do que punir os malvados, Deus vai lhe questionar por que você viveu totalmente para si e tão ausente da presença dEle. A pergunta final é: você está preparado?

No amor de Cristo,

Roger

“Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?”

Reflexões, Santificação

Até quando, filho?

Se há uma coisa que nós pentecostais sabemos produzir muito bem são frases de efeito. E como todo bom aspirante a pregador que cresce nesse meio, dediquei muito tempo da minha vida rechaçando a maioria daqueles chavões que me cercavam e que [na minha mente adolescente] não pareciam em concordância com a Bíblia.

Pra mim, Deus não tinha qualquer obrigação de “abrir uma janela” depois de uma porta ter sido fechada. Muito menos teria marcado alguma coisa na agenda dEle, principalmente depois que aprendi a palavra “atemporal” na Escola Dominical. Também não entrava na minha cabeça que alguém fosse “blindado” da morte porque alguma promessa não havia se cumprido. Depois que eu li o que aconteceu com a Galeria da Fé em Hebreus, então…

Ampulheta

Porém, nos últimos dias, Deus tem me levado a revisitar minhas raízes e isso tem me feito um bem incalculável. Ainda não cheguei ao ponto de cantar “Sabor de Mel” (sangue e fogo!), mas é cada rajada de glória que ‘nóis’ dá que você precisa ver (rs). Evidente que continuo abominando aqueles jargões triunfalistas e todo aquele besteirol gospel que a gente [infelizmente] ainda ouve em muitos púlpitos, mas tem um em particular que começo a olhar com outros olhos: “Quem não vem pelo amor vem pela dor”

Não me lembro quando ouvi essa frase pela primeira vez, mas certamente ela estava mergulhada em alguma daquelas pregações do evangelho do cabresto. Aquele que prendia os crentes pelo medo de morrer fulminado ao tocar no cálice indignamente ou lhe sentenciava a ficar de gancho 3 meses por ter raspado as pernas (o sovaco dava pra disfarçar rs). Fato é que muita gente se converteu por medo mesmo. Mas como disse Paulo, seja por motivos falsos ou verdadeiros, o que importa é que Cristo está sendo pregado (Fp. 1.18). Então, eis o meu novo questionamento: “Quanto tempo dura a paciência de Deus?” 

Ah, essa é fácil, professor: Lamentações! “…as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã.” Verdade! Mas e se acontecesse algo dentro de mim que me impedisse de ter acesso à essa misericórdia? Como se no meu e-mail chegasse um prêmio milionário e eu não lembrasse a senha. E mais, tivesse tentado acessar mais de 3 vezes e agora ele tivesse bloqueado a conta por segurança?

Sabe aqueles versículos que você nem sabia que estava na Bíblia. Pois é… Provérbios diz que “quem insiste no erro depois de muita repreensão, será destruído, sem aviso e irremediavelmente.” (Pv. 29.1). Forte, não é? Melhor ficarmos apenas com a Nova Aliança em que a graça é mais tranquila, certo? Pois é… E se eu te dissesse que “aqueles que uma vez foram iluminados, provaram o dom celestial, tornaram-se participantes do Espírito Santo, experimentaram a bondade da palavra de Deus e os poderes da era que há de vir, e caíram, é impossível que sejam reconduzidos ao arrependimento”? (Hb. 6.4-6)

Sabe… vão surgir dezenas de questionamentos teológicos, falácia da turma do “não é bem assim”, aspirantes a teólogos armados até os dentes, mas eu queria deixar algumas perguntas para sua reflexão:

Quantas vezes você já não foi ministrado sobre o perdão e continua nessa birra sem fim? Quantas vezes o Senhor já não falou com você sobre jugo desigual e você continua insistindo nesse relacionamento sem Deus? Quantas vezes Deus não te repreendeu sobre a fofoca e você continua caindo nessa cilada? (E não me venha com aquela de que foi só um comentário). É sério que você vai apostar a sua salvação brincando de ser crente?

Ei! Jesus está voltando! Minha oração nesse dia é que você volte a se santificar realmente nem que seja pela dor, porque pelo menos assim você pode ser salvo. Mas queira Deus que essa palavra toque hoje o seu coração e você se renda a Ele antes que seja tarde demais.

No amor do Pai,

Roger

Reflexões, Santificação

Santa indignação! Deus te quer feliz!?

E a mais recente treta da web se deu entre a cantora Ana Paula Valadão e a loja de roupas C&A. Para quem não sabe, a cantora expôs sua “Santa Indignação” contra um comercial da varejista em que casais trocam de roupas entre si. A cantora alega que a campanha publicitária seria uma afronta aos valores cristãos e que cada pessoa deveria usar roupas condizentes ao gênero que pertence.

raiva

Enquanto a opinião da cantora restringe-se às fronteiras de seu direito e liberdade de expressão, todos (inclusive a C&A e sua campanha pela liberdade de escolha) dizem amém! O problema foi a convocação feita por Ana Paula a um boicote à rede de lojas que gerou uma santa indignação até mesmo entre os evangélicos. Evidentemente, como a popstar é considerada a Nossa Senhora da Lagoinha por muitos evangélicos, houve quem amaldiçoasse mesmo a C&A e pouco se importasse com o desemprego de seus colaboradores – embora esse tipo de ação promova muito mais publicidade do que prejuízo à marca. O boicote é mesmo um megafone!

Dentre tantos anônimos e famosos que se manifestaram contra a cantora, chamou-me atenção a vlogueira, atriz e comediante Marcela Tavares. Conhecida por não ter papas na língua, Marcela mandou um de seus famosos recados, dessa vez, à cantora mineira. Mas, sinceramente, acho que preocupar-se com o que o mundo prega aos seus asseclas talvez não seja a melhor forma de proclamarmos a verdade do evangelho. Até porque, não vi a mesma indignação ante o consumismo desenfreado ou ao trabalho escravo dessas lojas. Mas quem sou eu para corrigir Vossa Senhora, né?

Contudo, dentre erros e acertos, Marcela encerra seu vídeo com um dos maiores enganos da humanidade: “Deus quer que a gente seja feliz!”

A igreja não tá legal? Ah, vai pra outra!
Deus quer que você seja feliz!
Casamento não tá legal? Ah, troca de mulher!
Deus quer que você seja feliz!
Pastor tá pegando no pé só porque você curte uma balada?
Ah, para com isso… Deus quer que você seja feliz!

Não! Mil vezes não! Esse é o pensamento hedonista dessa geração em que a busca pelo prazer é o seu principal objetivo. JESUS foi muito claro quando disse: “Vocês serão meus amigos, se fizerem o que eu lhes ordeno” E essa amizade não tem um objetivo ganancioso ou de qualquer vantagem pessoal – ela tem um propósito nobre: que a alegria dEle esteja em nós e que seja COMPLETA! E para que ela seja completa é preciso permanecer obedecendo. Portanto, o propósito de Deus não é te fazer feliz, é te fazer obediente – assim, você será completo.
Que possamos mostrar ao mundo não o quanto ele está errado, mas o quanto Deus pode nos fazer completos quando a Ele obedecemos – o exemplo é o melhor ensinamento.
“Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros” – João 13.35
No amor do Pai,
Roger